Tanques-Rede Iarema

Histórico

cesar-iarema

César Iarema e o primeiro tanque-rede.

A Iarema é uma empresa criada pelo Engenheiro Agrônomo César Iarema. Trabalhando com piscicultura desde 1975, o contato inicial com a atividade era o cultivo de tilápias em tanques escavados. O local de atuação era o norte do Paraná, região está cortada pelo rio Paranapanema. Na década de noventa criou-se diversas usinas hidrelétricas no rio, surgindo no entorno as represas que abasteceriam as UHE, como a represa de Chavantes, Canoas I e II, Capivara, Rosana, Salto Grande, entre outras.

Com todo este volume de água usado exclusivamente pelas usinas, César Iarema percebeu o potencial produtivo das águas até então ociosas. Somada à escassez de peixes cada vez maior, o engenheiro começou a desenvolver um novo sistema de gaiolas, diferente dos exemplos que se via no país, que no caso eram gaiolas feitas de ferro ou até mesmo madeira, usada largamente nas pisciculturas familiares.

O alumínio foi o material escolhido para se fazer as estruturas, por conta da sua alta durabilidade e do seu preço moderado. Inicialmente as gaiolas começaram a ser feitas redondas, mas logo foi mudada para o formato quadrado. Isso facilitava o transporte da fábrica até as pisciculturas, aproveitava melhor o espaço de armazenamento do material em estoque, e não interferia no desenvolvimento dos peixes.

Para o sistema de flutuação, inicialmente se usava bombonas provindas de indústrias alimentícias. Posteriormente evoluiu-se para bóias feitas de polietileno e tratamento anti-UV.

As telas dos tanques também foram um componente que melhoraram conforme a atividade foi se profissionalizando. Atualmente, a empresa oferece três tipos de tela: aço-inox, arame galvanizado revestido em PVC em alta aderência.

Além de inúmeras grandes e pequenas pisciculturas particulares, a Iarema tem em seu rol de clientes prefeituras e companhias energéticas, como a CESP e a Itaipu Binacional.

Minha contribuição foi desenvolver um produto inédito, leve, seguro, prático, econômico e durável. O que se via por aí eram estruturas de ferro, pesadas, mal-resolvidas, perecíveis, muitas vezes acabando como sucata na beira dos lagos.

cesar-iarema-expolondrina

César Iarema na Expolondrina.

O alumínio era considerado impraticável pelo se alto custo. O que não se levou em consideração é que se é caro, também é leve. O ferro é barato, mas é pesado. Além de utilizar muitos quilos de material, exige um sistema de flutuadores muito maior, e o que é pior, a manejabilidade fica comprometida. A vida útil do ferro é bastante limitada.

O material escolhido foi um perfilado ovalado, com duplo reforço interno, que além de leve e resistente, não possui cantos vivos e permite a costura da tela sobre si, malha-a-malha. Como a tampa é da mesma tela e embutida na estrutura, fica impossível qualquer predador agir. A tampa é leve, de um tubo do mesmo material, toda moldada, sem a necessidade de soldas.

César Iarema

 Localização

A empresa está localizada na cidade de Itambaracá, no norte do Estado do Paraná.