Consequência da Atividade

Ao cultivar peixes em represas, é preciso sempre respeitar a capacidade de suporte do reservatório para manter o equilíbrio do meio ambiente.

Como as águas são pobres, os peixes têm de ser alimentados com ração. As conseqüências maiores são os dejetos. Portanto, deve-se conhecer a capacidade suporte de cada massa d´água, pois a água aceita dejetos sem problemas até um certo ponto. Simplesmente vai ser fertilizada e adquirir uma tonalidade esverdeada, que pode virar poluição. Algumas espécies se beneficiam dos dejetos como alimento. É o caso do Corimbatá. Assim, além de produzir peixes, está se alimentando peixes nativos. Outros se beneficiam dos fitoplânctons, a cor esverdeada que podemos produzir. Há várias formas de se definir a capacidade do suporte de cada massa d’água. Uma delas seria pela vazão da água.

A maioria das represas vêm apresentando vazão muitas vezes maior do que a utilizada na piscicultura convencional. Portanto, os números seriam absurdos. Melhor nem detalhá-los. Outra seria pela capacidade de absorção da ração com pouca renovação de água. Teríamos uma capacidade diária de 50 Kg de ração por hectárie. Outra seria pela quantidade de fósforo apresentada na água. A ração iria acrescentar esse elemento, sendo assim outro fator determinante.

Nos envie um email